Profissionais de Sucesso

Sempre uma entrevista com um
grande profissional!

O que faz um Tecnólogo em Viticultura e Enologia?

Luiz Henrique Zanini | Tecnólogo em Viticultura e Enologia

A  A  A     

Luiz Henrique Zanini formou-se em Administração de Empresas, mas como atuava na área de Enologia, resolveu fazer o curso de Tecnólogo em Viticultura e Enologia oferecido pelo Cefet de Bento Gonçalves- RS. O curso, concluído em 2003, foi feito praticamente ao mesmo tempo em que Luiz Henrique implantava sua própria empresa, a Vallontano Vinhos Nobres Ltda., o que tornou sua aprendizagem mais rica e interessante.

Já viajou por diversos países para conhecer as regiões vitivinícolas e realizou um de seus sonhos que era estagiar na Borgonha, região da França, famosa pela qualidade de seus vinhos. Foi na filosofia e determinação de alguns produtores da Borgonha que buscou inspiração para consolidar seu trabalho na empresa que criou. Hoje, Luiz Henrique fala para o Profissional de Sucesso a respeito da formação e do mercado do Tecnólogo em Viticultura e Enologia.     

O que faz o Tecnólogo em Viticultura e Enologia?

É muito ampla a sua atuação na indústria do vinho. Ele pode trabalhar em praticamente toda a cadeia produtiva do setor uva e vinho. Conheço colegas que trabalham nos vinhedos, são produtores de uva; outros, trabalham na parte administrativa; tem os que atuam em laboratórios fazendo análises físico-químicas dos vinhos; há ainda os que são enólogos em vinícolas, cuidando da produção; há também a possibilidade de se trabalhar em vendas de vinhos e, também, na área de pesquisa.

Onde esse profissional  pode trabalhar?

Pode trabalhar em vinícolas, laboratórios, universidades, órgãos de pesquisa, faculdades, prestar assessoria (vitícola ou enológica), ou trabalhar em empresas que comercializam vinho e até constituir seu próprio negócio. 

Como é o curso?

O curso de Tecnólogo em Viticultura e Enologia do CEFET-BG (Bento Gonçalves-RS) foi iniciado em 1995 e a primeira turma se formou em 1998. O curso tem a duração de 5 semestres, mais 450 horas de estágio.

Dentre as habilidades, destacam-se a afinidade com a área de conhecimento da Biologia, Química e Microbiologia e também uma certa habilidade com as coisas do campo. Embora seja uma indústria, é ligada ao setor agrário. Além disso, na grade curricular constam as disciplinas ligadas à Viticultura e Enologia. Estas disciplinas técnicas integram a parte prática do curso. A Enologia trata especificamente da elaboração do vinho, enquanto na Viticultura aprende-se sobre a escolha da área da plantação, posição solar, qualidade do solo, plantação do parreiral, podas e colheitas. Os estudantes acompanham todo o processo de produção do vinho, desde a escolha da área da plantação da uva até a colocação do produto na gôndola do supermercado.

Além de Bento Gonçalves, esse curso existe no Conjunto Agrotécnico Visconde da Graça, em Pelotas - RS.

Quais as características mais específicas dessa profissão?

As características dependem do segmento  escolhido. Se a opção for por vinícolas, como na maioria dos casos, o trabalho alterna entre períodos de campo e de vinícola.  Na época da safra (colheita), por exemplo, o trabalho é intenso, pois é imprescindível a presença deste profissional em tempo integral, para acompanhar desde a chegada da uva na cantina até o término da elaboração.

Já o enólogo trabalha bastante com a sensiblidade. Precisa ter os sentidos do olftato e do paladar apurados. Mas isto não é determinante. O mais importante  é "entender" o tipo de vinho a ser  elaborado. É preciso falar pelo menos um outro idioma (francês, inglês, espanhol ou italiano). A interação com outros profissionais ocorre de forma natural, já que esse profissional participa ativamente de associações ligadas ao setor. Eu mesmo tive a oportunidade de  presidir  uma das mais importantes e maiores associações de produtores de vinhos do país,  a Aprovale (Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos) e fui também um dos vice-presidentes da Fenavinho Brasil 2007. Hoje, faço parte da diretoria da Uvibra (União Brasileira de Vitivinicultura). 

Com a expansão das áreas de produção brasileira, o enólogo pode trabalhar desde o nordeste até o sul do Rio Grande do Sul. Existe, no entanto, uma concentração maior dessas atividades no interior dessas regiões.
         
Como anda o mercado de trabalho para o Tecnólogo em Vinicultura e Enologia?

Existem oportunidades muito boas em alguns segmentos. Tudo depende também de como o profissional vai  direcionar sua carreira.

Qual a expectativa de remuneração?

A remuneração é condizente com a atuação na área escolhida. Temos diversas faixas salariais. A regulamentação da profissão só ocorreu no ano passado e ainda não existe um Conselho para a profissão. Hoje, ela está atrelada ao Conselho Regional de Química.  

Existem especializações voltadas para o Tecnólogo em Vinicultura e Enologia?

Em 2009, o CEFET-BG terá especialização em Viticultura e a UCS já oferece uma especialização em vitivinicultura. Além destas, tem a especialização em Marketing da ESPM e da OIV.

Cite o que você considera uma vantagem e uma desvantagem da profissão.

A vantagem é conhecer muita gente do mundo do vinho, fazer grandes amigos e viajar bastante e sobretudo poder  transformar este trabalho em arte e poesia. Não saberia citar uma desvantagem. 



compartilhe em: Twitter Facebook Windows Live del.icio.us Digg StumbleUpon Google
O seu portal de ensino online.
Assine agora!
4002-3131
regiões metropolitanas
0800 283 0649
demais regiões
Fale Conosco Fechar