Convivendo com a Diferença

Conservadorismo x Liberalismo

O jeito mexicano de conviver com os opostos

A  A  A     

14 de abril de 2011

Desde que o mundo é mundo, conservadores e liberais duelam por suas opiniões e pelo predomínio de seus ideais perante a sociedade. Esse conflito de ideologias e interesses já foi responsável por muitas loucuras, guerras e atos impensados no passado. Na contramão da história, o México mostra que é possível pensamentos tão antagônicos conviverem no mesmo país sem conflitos e perseguições. Nos últimos  três anos, a capital Cidade do México aprovou leis que, até mesmo na liberal Europa, ainda estão em fase de discussão.

O movimento progressista que vem tomando a capital do país faz dela um bastião do liberalismo em meio à conservadora sociedade mexicana. A opinião da grande metrópole ainda é distinta do restante do país, mas é um exemplo que tem tudo para se expandir além das fronteiras mexicanas. Dentre as leis aprovadas nesse período estão a liberação do aborto, a legitimação do casamento entre cidadãos do mesmo sexo, a mudança de identidade de homossexuais e, até mesmo, a ortotanásia, que regulamenta o direito do doente em aceitar ou não o tratamento de saúde, podendo evitar possíveis sofrimentos.

É evidente que o liberalismo crescente na capital mexicana vem movimentando o país e causando acaloradas discussões. Os beneficiados pelas mudanças acreditam que, finalmente, seus direitos estão sendo reconhecidos, enquanto os mais conservadores procuram se defender, criando leis em outros estados para evitar que a onda se propague pelo país.

No meio dessa discussão, quem ganha é o povo, que tem a possibilidade de opinar e escolher o que fazer, de forma democrática.

Educação é a base de tudo

Embora alguns se utilizem desse movimento para ganhar mais votos, o fato de permitir que as pessoas tenham o poder de decidir o seu próprio caminho faz do México um país mais próximo do século XXI. Afinal, é de se espantar que, em plena era da informação, preconceitos e dogmas religiosos ainda controlem os caminhos de boa parte do mundo. A religião é um apoio importante para qualquer sociedade, mas ela não pode ser a única voz a ser ouvida, sob pena de condenar o povo a uma espécie de ditadura religiosa, seja qual for o credo dominante no país.

Mas tão importante quanto a onda de liberalismo é o fato de conservadores e liberais conviverem de forma pacífica no mesmo país, podendo externar suas opiniões. Essa expressão máxima da democracia deve servir de exemplo para países como Tunísia, Egito e outros cujos povos ainda buscam o direito de escolher os seus próprios governantes. Democracia não é apenas ter direito a voto, é também respeitar as diferentes opiniões e saber conviver com elas.

Por tanto, em vez de cercear os direitos da população, os governantes devem garantir a todos o acesso a todo tipo de informação, para que cada um possa decidir sobre seu próprio destino, respeitando os direitos do próximo e arcando com as consequências dos seus atos. Educar o povo deve ser a meta principal de todas as plataformas políticas em qualquer parte do mundo. Afinal, é através da educação que se adquire cultura, valores morais e cidadania, alicerces importantes para a construção de uma sociedade mais justa, ordeira e tolerante com as diferenças.

 



compartilhe em: Twitter Facebook Windows Live del.icio.us Digg StumbleUpon Google
O seu portal de ensino online.
Assine agora!
4002-3131
regiões metropolitanas
0800 283 0649
demais regiões
Fale Conosco Fechar